CasamentoRelacionameto

Qual o momento certo para morar junto com o noivo ou namorado?

Ah, o amor! Sentimento lindo que faz a gente não querer ficar longe da pessoa amada; que te leva a pensar em construir um forte relacionamento com seu namorado e se preparar para um inesquecível casamento. Isso te garante momentos inexplicáveis, cheios de companheirismo, aprendizado, fidelidade e alegria. No entanto, é importante encontrar o cara certo para que vocês possam viver juntos e felizes.

Tendo isso tudo em mente, você já pensou em dividir o mesmo teto antes do casório? Sabe qual o momento certo para morar junto do noivo ou namorado? Prepare-se para juntar os paninhos, porque este post quer que vocês sejam felizes para sempre!

More com quem você quer viver para sempre

Decidir morar junto é um momento importante para o casal e que precisa ser discutido e refletido em conjunto. Morar junto não é apenas juntar as escovas de dente, e é exatamente por isso que nem sempre as coisas acontecem como a gente imagina.

Antes de arrumar as malas e seguir para o ninho de amor, você e o gato devem considerar algumas questões fundamentais para a felicidade dos dois. É elementar pensar com sensatez e decidir se realmente é isso que o casal quer.

Morar junto significa conviver com a pessoa diariamente, acordar e dormir ao lado dela, viver momentos diversos juntos (sejam eles tristes ou alegres) e permitir que a outra pessoa faça parte do seu cotidiano.

Ao fazer a escolha de morar junto com seu noivo ou namorado, tenha em mente que um pouco da sua privacidade será perdido. Em contrapartida, momentos únicos serão vivenciados ao lado de uma pessoa que te completa e que torna os seus dias mais divertidos.

Decida se esse é o momento certo para morar junto

Nada melhor do que um diálogo movido a amor e respeito para tratar dessa questão fundamental para a sua vida e para a de seu noivo ou namorado. Para contribuir com o sucesso dessa conversa, reunimos umas questões para pensar e facilitar essa nova etapa da relação entre vocês. Confira!

Vocês querem viver juntos?

Na hora do olho no olho a vontade pode mudar ou fazer aflorar um receio ou uma dúvida escondidos em algum lugar. Se você se refere ao assunto e o amado muda de conversa, é melhor esperar um pouco mais. É preciso que ambos tenham certeza dessa vontade.

Além disso, agir precipitadamente e por impulso, por mais empolgante que o momento seja, não é o ideal. O casal deve sentar e conversar como pessoas sensatas. Lembre-se de que a mudança deve ser conveniente para os dois e que a decisão deve ser tomada em conjunto. Se decidirem esperar, não há problema algum. Tudo acontece na hora certa.

Como está a relação de vocês?

Decidir viver uma vida em comum, em um mesmo espaço, pede sensatez. Tenha convicção de que o nível de compromisso entre vocês é alto e que o convívio é saudável e promissor. Caso contrário, diminua a aceleração até que a estrada fica mais tranquila.

O casal deve ter total consciência da mudança e deve se sentir bem diante da decisão. Para isso, o ideal é que vocês estejam passando por um momento de crescimento e descobertas. O relacionamento deve estar fluindo bem, sem intrigas ou desentendimentos por bobeirinhas do dia a dia.

Não se esqueça de que essa decisão é algo sério e que pode até mesmo comprometer a vida de vocês. De nada adianta fazer a mudança na euforia se o clima não está bem, não é mesmo? Tudo isso causa ainda mais conflitos e angústia.

O diálogo estará sempre presente?

Sabe aquele clichê de que “o tempo passa, o tempo voa”? É pura verdade. Nessa passagem e nesse voo as convivências podem mudar, regras precisarão de reformas, acordos deverão ser revistos. Nada melhor do que uma comunicação aberta e respeitosa para pôr a casa em ordem.

Não hesite em estar sempre aberta para novos diálogos — aliás, o casal deve estar disponível para isso. Ao morar junto com outra pessoa, é elementar ser sincero para não deixar que ocorra um acúmulo de sentimentos negativos e de coisas que estão incomodando.

Assim como uma conversa sensata proporciona boas risadas e troca de informações, ela é a responsável por resolver problemas de forma pacífica, sem ignorância ou qualquer tipo de violência, o que torna um relacionamento desrespeitoso e abusivo.

A convivência respeitará as diferenças?

Como o diálogo é o mediador, faça uso dele para definir algumas normas de relacionamento para evitar conflitos. É preciso que as diferenças e as individualidades sejam respeitadas e que esse respeito valha para ambas as partes.

Tenha em mente que cada pessoa age de uma forma, tem suas particularidades e seu jeito de ser. Para que a convivência dê certo, é fundamental estabelecer normas de bom convívio social, em especial em relação à higiene e a afazeres domésticos.

Cada um deve colaborar e fazer a sua parte, evitando confusões bobas. Ao mesmo tempo, o casal deve entender que existem diferenças e que nada pode acabar com o respeito, mesmo com a convivência e com os conflitos internos.

Como estão as finanças?

Como já foi mencionado, unir-se a outra pessoa pede que acordos sejam firmados entre as partes. Parece coisa de contrato? Pois é, é quase isso. Portanto, conversem sobre a situação financeira de cada um e ajustem quem paga o quê.

Problemas com dinheiro abalam as amizades e os amores — e isso não é o que queremos. Uma sugestão é dividir igualmente contas em comum, como luz, aluguel, condomínio, IPTU, internet, TV a cabo, água e taxas preventivas. O restante pode ser resolvido entre o casal e de acordo com a necessidade de cada um.

Se uma pessoa tiver uma condição financeira melhor e estiver com o coração aberto para fazer as contas de outro jeito, como o pagamento do aluguel para uma pessoa e o condomínio para a outra, não há problema.

Todavia, é importante deixar claro que os direitos dentro do apartamento são iguais e que a decisão foi tomada em conjunto. Portanto, não deve haver vantagens, julgamentos e benefícios por esse motivo, a não ser que exista um acordo lógico, responsável e equilibrado entre o casal.

Uma boa dica para resolver problemas financeiros maiores, como a necessidade de compra de móveis para a casa, é a criação de uma poupança. Os dois podem fazer um acordo, alimentar aos poucos a conta e, posteriormente, utilizar o dinheiro para realizar um sonho em comum.

Viva uma relação romântica ao lado do seu amor

Agora é tomar as providências e começar os preparativos. Mantenha-se informada sobre assuntos que ajudarão em questões que envolvam o casamento e vida em casal.

Para evitar uma decisão precipitada, busquem se conhecer melhor antes de se mudar. Para isso, dialoguem, compartilhem a vida diária, os sentimentos e os sonhos, busquem conviver com outras pessoas e tentem entender que cada um precisa de um tempo a sós e de privacidade, tornando o respeito ao espaço do outro indispensável.

E se o momento certo para morar junto incentivar você para as alianças, o casamento e o “viveram felizes para sempre”, procure um site que ofereça produtos de qualidade, com certificados de autenticidade, vídeos sobre os produtos e chat para atender você e seu amado!

Quer se manter por dentro de outros assuntos como esse? Então aproveite e descubra agora quais são as bodas de namoro e como comemorá-las!

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Nossa Black Friday já começou
informe seu e-mail e receba o cupom de desconto que vai desbloquear todas as ofertas.
nós não enviamos spams
Sorteio.

já tem um presente para o Dia dos Namorados?

não? participe do nosso sorteio e concorra a um par de alianças de prata.

2019 (C) todos os direitos reservados
Alianças de Ouro Rosé
ROSE5
ganhe 5% de desconto, use o código de cupom